?Senciência animal. Não é possível ignorar. Temos que criar uma sociedade livre de exploração animal. Direitos deles, justiça pra eles! 

Em 07 de julho de 2012 a Declaração de Cambridge constatou a existência de consciência nos animais:

"A ausência de um neocórtex não parece impedir que um organismo experimente estados afetivos. Evidências convergentes indicam que os animais não humanos têm os substratos neuroanatômicos, neuroquímicos e neurofisiológicos de estados de consciência juntamente como a capacidade de exibir comportamentos intencionais.
Consequentemente, o peso das evidências indica que os humanos não são os únicos a possuir os substratos neurológicos que geram a consciência. Animais não humanos, incluindo todos os mamíferos e as aves, e muitas outras criaturas, incluindo polvos, também possuem esses substratos neurológicos".

"Queremos que esses animais recebam direitos fundamentais, que a justiça as enxergue como pessoas, no sentido legal.Temos que parar de pensar que esses animais existem para servir aos seres humanos. Eles têm um valor intrínseco, independente de como os avaliamos." -Steven Wise, advogado e especialista americano em direitos animais.

O neurocientista Philip Low, criador do iBrain, o aparelho que permite a leitura das ondas cerebrais, assinou o documento, não ignorou o resultado de suas pesquisas e no mesmo ano tornou-se vegano: "Temos agora que apelar para nossa engenhosidade, para desenvolver tecnologias que nos permitam criar uma sociedade cada vez menos dependente dos animais."